O que eu aprendi de ter um gato

 

IMG_1054.JPG
@Roseveflores

Aprendi que preguiça é contagiante e que esquecer a torneira aberta faz parte, mesmo que a gente leve bronca por causa da conta de água.

Qualquer lugar é lugar de gato se enfiar. Caixas, guarda-roupas, armários e a gente vai procurar de coração apertado achando que sumiu e aí você abre o armário e lá está. O coração chega se acalma.

Aprendi a brincar de se esconder lentamente só pra fazer ela vir correndo me procurar e que o seu rascunho fracassado é o melhor brinquedo dessa vida. Se você tiver um laser e apontá-lo para a parede é melhor ainda!

Aprendi que gato é realmente diferente de cachorro e que eles às vezes gostam de ficar mais quietinhos, deitadinhos no escuro, sozinhos, mas meu amigo, se ele brincar de te arranhar, subir no seu colo e querer dormir agarradinho com você, você é uma pessoa de sorte e foi escolhido para ser amado por ele, não é pra qualquer um não, viu?

Gato não é fácil de entender, tem que ter paciência e se dedicar (vale até pedir para fazerem graça se você tiver um biscoitinho). Quando você ver, os pelos que eles soltam é só detalhe se comparar com a delícia que é ter um bichinho dormindo quentinho em cima do seu pé ou deitar em cima do seu livro só de zoas. Gato é amor pra quem sabe amar.

Anúncios

Ingênua eu, que achei que já tinha te superado…

Achei que tivesse te superado, mas no meio de algumas noites meu coração se aperta e me vem você na memória, com todas as pequenas coisas que aprendi sobre você. Sobre como você não gostava de açúcar no café ou quando alguém te pedia informação na rua. Você não tem ideia de como meu olho brilhava quando te olhava sendo tão cuidadoso com alguém que nem o nome você sabia. E me lembro de quando falávamos sobre as questões que eram maiores do que nós dois, de quando compartilhávamos a nossa indignação com o ódio gratuito distribuído pelas pessoas e de como não entendíamos incontáveis coisas e criávamos teorias que se contradiziam o tempo todo. No final a gente sempre dizia “ah, sei lá” e ficava tudo bem.

Acontece que já me acostumei a ter que dizer adeus às pessoas, mas cada vez é como se fosse a primeira vez e com você não podia ser diferente. Meu coração gritou pedindo pra você ficar, mas me contentei em dizer: tá, tudo bem. E está. Se não estiver, vai ficar. Mas hoje não. Hoje não me reconheci sorrindo sincera e grata por ter acontecido algo. Hoje chorei por tudo ter acabado. E eu poderia ter dito que você podia tentar mais, mas sei que não seria o melhor a se fazer. É, eu aceito, mas ainda não entendo. Talvez eu nunca entenda.

De qualquer jeito, ainda guardo aquela pequena fotografia no fundo da gaveta, não com a esperança de você voltar, mas sim com a esperança de que um dia eu possa olhar pra ela e dizer que é só uma lembrança que eu insisto em guardar.

Eu não me “alugo” para o dia dos namorados

Eu acho engraçado, mas também já achei que era impossível ser feliz sozinho.

A gente ainda tem essa mania de se sentir fracassado por passar o dia dos namorados sozinhos. Junho chega e o que mais vejo nas redes sociais são pessoas se “alugando” para passar o dia dos namorados com alguém. Às vezes é só de brincadeira, eu sei, mas às vezes por dentro as pessoas realmente se sentem assim e a gente precisa refletir um pouco mais sobre isso.

A gente ainda acredita que ir ao cinema ou fazer coisas que a gente gosta sem que tenha alguém conosco é coisa que não deveria acontecer ou que é algum tipo de “desperdício”. Às vezes a gente se sente meio solitário mesmo e tá tudo bem querer estar com alguém, mas a questão aqui é não precisamos de alguém.

Parafraseando INTO THE WILD, “felicidade só é real, quando compartilhada” e faz sentido, mas tem coisas na vida em que a gente quer conquistar sozinho, vai por mim, faz um bem danado para a mente e para a autoestima e aí a parte de compartilhar a felicidade, vira uma história SUA pra contar.

É bem legal quando a gente encontra alguém na vida, aquela companhia não só para ir ao cinema ou ao parque, mas que divide a vida também, mas quem diabos disse que isso precisa ser uma necessidade constante? Não tem problema algum em escolher se conhecer primeiro.

Por que as pessoas olham estranho pra gente quando sorrimos ao cumprimentar um cachorro na rua ou até mesmo quando olhamos o céu sem ninguém para dividir um comentário sobre isso? A gente não precisa se emocionar só se estiver com alguém para nos abraçar. Às vezes é preciso tirar um tempo e apreciar certas coisas em silêncio. Sozinhos. Por que ainda acham que a gente é obrigado a sempre dividir o vinho? Tenho guardado comigo as rolhas em que meu nome está escrito. No final das contas o dia dos namorados é só mais uma data e não precisa ser uma necessidade estar com alguém se você não quiser ou se não existir alguém.

Tá tudo bem querer estar ou procurar alguém para dividir a vida ou só um dia, mas a gente não precisa aceitar qualquer pessoa na nossa vida por medo de ficarmos sozinhos, nem mesmo no dia dos namorados. Momentos carentes fazem parte da vida, mas às vezes a gente deixa pessoas tóxicas entrarem ou permanecerem porque o mundo sem elas parece mesmo solitário ou porque passar o dia 12 abraçado com alguém que não faz tão bem o ano todo parece ser bem mais interessante.

Conecte-se com você mesmo e escute o que você tem a dizer. Aproveite sua própria companhia e cante sua música favorita bem alto e dance. Seja seu. Dívida seus momentos com você mesmo, e aí, mas só aí, sinta-se preparado para ser com alguém 🙂


“[…] mas sou minha, só minha e não de quem quiser…”
Cássia Eller – 1 de julho

Você merece alguém que…

IMG_7295-2
Foto: Barbara Almeida

É menina, a vida vai te dar uns pelé às vezes e vai te fazer duvidar dos amores que as pessoas tanto falam que existe e mais ainda, vai achar que nunca vai encontrar ninguém que valha a pena arriscar, mas você tem 15 anos ainda e mal sabe das coisas que vão acontecer.

Você ainda vai descobrir que existem pessoas tóxicas e que algumas até andam juntas, mas quando estiver pronta para abrir mão delas, o universo vai entender que você está preparada para algo novo e vai te surpreender.

Um dia você vai estar de bobeira e alguém vai chamar sua atenção ao passar pela porta. Você vai fingir que nem reparou, mas vai sorrir sozinha depois. E vai continuar sorrindo quando seus olhos se perderem em outros olhos cor de mel. Você vai se surpreender quando tiver que abandonar todas as ações defensivas que as frustrações te fizeram carregar na mala até aqui e finalmente vai ter coragem de ser você mesma.

É aquela coisa, a gente cresce às vezes achando que nunca vai acontecer com a gente, até que a vida surpreende. E ninguém surpreende melhor que ela. 

Você merece alguém que te ouça e que não te julgue pelas coisas que você sente e não consegue guardar apenas para si. Você merece alguém que tente ao mesmo entender a sua forma complicada de explicar as coisas. Você merece alguém disposto a aprender com você e a te ensinar também.

Reguem-se. Igual flor, sabe? E aí você começará a sentir na pele o que é reciprocidade.

Você merece alguém que goste de guardar dentro de si as pequenas coisas.

Você merece alguém que só te faça bem, mas antes você vai precisar olhar para dentro de si. Permita-se conversar com seu interior e ouça o que seu coração tem a dizer. Não tenha medo de ficar sozinha, pois feliz também é aquele que sabe aproveitar sua própria companhia. Permita-se aprender a ouvir e a dar colo quando alguém precisar. Permita-se aprender a compreender.

Ah menina, quando você se encontrar, permita-se estar disposta a conhecer este alguém. Você merece alguém que só te faça bem e não aceite menos que isso 🙂

18119602_1310129459022569_5345100320414333284_n.jpg

Há um ano aqui…

img_0211

Hoje às 09:00 o celular despertou: 1 ano de Vejo Flores. Confesso que até tinha esquecido, mas no meio da aula soltei um gritinho de empolgação ao lembrar desta data tão querida.

Há um ano, sentei na frente do computador prestes a descobrir um mundo novo. Não só na internet, mas em mim mesma! Há um ano me conheço melhor e aprendi a colocar tudo para fora sem medo. Para pessoas que eu nem conheço!

Estranho que senti algo familiar ali, talvez fosse algum sinal do universo dizendo que dessa vez eu finalmente conseguiria por em prática tudo o que planejava há tempos. Cada um traça seu plano de um jeito, mas eu sabia que ali só precisava de um primeiro passo.

Há um ano eu queria fazer algo, eu queria mostrar às pessoas o que eu pensava sobre o mundo e queria que elas pudessem encontrar as flores na vida também. A gente perde tanto tempo com tanta coisa que às vezes não precisa e se esquece que são as pequenas coisas que fazem realmente a diferença. O potinho anual das coisas boas enche mais a cada dia com todas as melhores coisas que aqueceram o coração até agora. Com certeza o dia 19/05 ficará dentro do potinho todos os anos.

Percebi que não preciso de muito para ser feliz e que as melhores coisas da vida sempre vem de graça, basta a gente dedicar um tempinho à elas. Hoje eu sei que pessoas de diferentes partes do mundo sabem que eu existo aqui e mesmo que sejam 5 ou 6, é estranho para mim, pensar que já alcançamos vários “alguéns” ao redor desse mundão. Isso só me mostra o quão longe posso chegar um estando aqui 🙂

Há um ano compartilho o que me faz bem esperando que faça bem a alguém. Uma vez ouvi que a maior aventura que você pode ter é viver a vida dos seus sonhos e agora sei que estou no caminho certo para isso. Todo dia é uma oportunidade de caminhar ainda mais até lá, mas HOJE vejo flores enquanto sopro as velas e aplaudo este dia que há um ano seria só o começo de uma bela longa história… #Vejofloresfaz1ano