O que não faz bem, não faz bem e ponto!

Fonte: Pinterest

Eu não sou fã de escrever sobre as coisas ruins, mas já perdi as contas de quantas vezes deixei de falar sobre as coisas que realmente me fazem mal apenas para culpar outras áreas da minha vida.

Não é fácil colocar para fora tudo aquilo que a gente sente, mas essa coisa de esconder o que a gente realmente não gosta, o que estraga nosso dia e nos faz perder o brilho nos olhos também faz um mal danado. Minhas bochechas queimam e eu luto contra mim mesma para não andar me arrastando.

Às vezes eu entendo o enconderijo, afinal, não é com todo mundo que a gente se sente totalmente seguro para desabar. Também não é todo mundo que está disposto a segurar o peso do nosso mundo nas mãos, mesmo que seja por cinco minutos.

Às vezes a gente acha melhor culpar o fim do semestre, inventar outros problemas ou só dizer que aquele dia não é O dia, sem entrar em detalhes. Mas ainda sim, precisamos ser sinceros, principalmente com nós mesmos. Algo que não faz bem, não faz bem e ponto. Precisamos procurar formas de evitar, sempre que possível.

Você não tem que ser obrigado a estar feliz o tempo todo, nem gostar de tudo o que você faz. Permita-se mudar quando enxergar que determinada coisa não é para você. A vida é uma só e viver é um desafio diário, principalmente quando a vida cobra que você esteja sempre feliz e sorrindo, mesmo nos piores dias.

Nossa saúde vai além de pegar um resfriado. Nossa saúde mental é tão importante quanto nossa imunidade e o cuidado que temos com ela tem que estar em equilíbrio com o fato de que em dias ruins, temos medo de falar o que nos faz mal e acabar magoando alguém. Não podemos apenas continuar nos magoando também.

Me deixa aqui, quietinha. Hoje eu não estou para muita conversa. Quem sabe amanhã.

Anúncios

Uma Arya na nossa vida

Lá no pet shop te deixaram para tomar banho e nunca mais voltaram. Deve ser por isso que você não gosta muito de andar de carro.

Quando a gente soube de você, foi difícil decidir se conseguiríamos dar conta de mais uma, mas quando me contaram que faziam duas semanas que você dormia sozinha no escuro eu tive que ajudar a convencer a te trazerem pra casa.

Me contaram que você era brincalhona, que adorava passar entre as pernas e que tinha só 4 meses.

A gente te conhece há duas semanas e já não sabe mais como seria a vida sem você.

Hoje, antes de contar sua história você aprendeu a subir e descer a escada, mas já sabe sentar, dar a pata e cavar o jardim 😒

Hoje você tem um lar cheio de gente e amor de sobra.

Agora você tem 5 meses e faltam 3 vacinas.

Agora você tem uma família. Seja bem-vinda, Arya 💛

Eu vou fazer uma prova de 5KM!

Hoje é quinta-feira, dia 09 de maio e faltam 04 dias para a minha primeira corrida de 5KM.

Talvez não seja muito para alguns, mas tem coisas que a gente não imagina que vá fazer e gostar. E quando tem o gostinho da primeira vez, o frio na barriga e a ansiedade aumentam ainda mais. Eu to muito animada, não posso negar!

Desde que consegui correr 6KM pela primeira vez eu queria muito fazer uma prova. Aí um dia voltando para casa tinha um daqueles relógios com publicidade e nesse tinha o anúncio da corrida de 5KM do GRAAC. Toda a renda das inscrições será revertida em tratamento para crianças e adolescentes com câncer que são atendidas pelo hospital GRAAC.

Além de praticar um esporte, a gente também ajuda quem precisa tratar essa doença que é tão triste.

O processo

Lembro como se fosse ontem que eu só parei para pensar no tempo pré-prova depois que já tinha feito a inscrição. Putz, eu só tinha 2 semanas para deixar de correr 2KM e fazer 5KM.

Não sei se quem corre há mais tempo pensa o mesmo, mas eu só ficaria tranquila se conseguisse fazer 5KM pelo menos uma vez antes da prova. E fiz.

A primeira corrida depois da inscrição foi no último sábado de abril (27), mesmo dia em que me inscrevi. 3KM sofridos e achei que não ia dar conta da prova.

Consegui fazer 5KM no sábado seguinte (04) e fiquei mais tranquila.

Faltam só 04 dias e meu coração já tá pulsando no pé. Ouvi falar muito sobre a vibe de uma prova e estou ansiosa para viver esse momento.

Confie no seu corpo e acredite em você! A corrida é um processo único. Aproveite cada quilômetro 🏃🏻‍♀️

Aqui em SP: Vicolo Nostro & um ano de namoro

Faz um tempão que não faço um ‘Aqui em SP’, que é a categoria do blog em que mostro lugares legais para ir, comer e se divertir em São Paulo.

Dia 10, eu e Vinicius fizemos um ano de namoro e para comemorar, fomos ao restaurante Vicolo Nostro, no Brooklin.

No meio do caminho eu estranhei muuuito porque o restaurante fica no meio de um bairro ali no Brooklin e até perguntei se estávamos no caminho certo.

Chegamos lá e já fiquei encantada com o lugar: tijolinhos, plantas e luzinhas 💛

Escolhemos um lugar mais reservado em uma varandinha que tem mesas para dois, diferente de um espaço abaixo que tinham mesas para mais de cinco pessoas.

Pedimos o couvert que é uma cesta de pães caseiros com patês. Vem pão integral, pão recheado com escarola e tomate e pão caseiro + patês de berinjela, queijo gorgonzola (meu favorito da noite), manteiga, azeitonas pretas e azeite 😋

Pedimos meia garrafa de um vinho chileno chamado Falernia. Eu gosto muito de vinho e não tinha tomado um Syrah ainda. Engraçado o paladar da gente né? Vinicius achou suave, já eu achei bem seco, porém muito gostoso. Harmonizou bem com o que pedimos e com os pãezinhos.

Achei maravilhoso que tinham opções vegetarianas e uma opção vegana.

Vinicius ama frutos do mar então pediu um spaghetti com lulas, polvo e camarão.

Já eu, pedi um fettuccine com azeite de trufas brancas e parmesão servido com abobrinhas grelhadas.

Não pedimos sobremesa porque o preço do restaurante era bem salgado, então passamos no mercado e compramos morango. Minha sobremesa foi morango com leite condensado em casa hehe

Foi muito bom, mas realmente, no meu caso, é algo para se fazer em momentos especiais porque é bem caro mesmo, mas foi muito bom e valeu a pena.

Aproveito para agradecer pelo último ano. Fizemos tantas coisas juntos que parece foi menos tempo. Feliz nós dois 💛

Ainda bem que a gente muda

Ainda bem que a gente tem a chance de nos dar novas chances. Ainda bem que a gente pode recomeçar ou até mesmo continuar, porém de uma forma diferente.

Que bom que a vida não foi feita para ser estagnada e que bom que mesmo vivendo muito, sempre tem algo novo a se descobrir, ver e viver. Ainda bem que os textos que eu escrevia depois de uma grande decepção já não fazem mais sentido para mim agora, afinal, aquela decepção já passou e virão outras, eu sei, mas não mais aquela.

Engraçado, né? Tudo o que a gente produz diz respeito à apenas uma fase. Quando a gente escreve, desenha, fotografa, a gente eterniza essa fase e depois de um tempo, deixa de fazer sentido, ou pelo menos, ganha um novo sentido. Um mais nostalgico.

Eu gosto dessa sensação de liberdade, de mobilidade, de poder me reinventar, criar algo novo, descontinuar o que realmente não se encaixa e encontrar felicidade no presente que é tão efêmero.

Já pensou se a gente nascesse e em determinado momento tivesse que escolher do que gostar e nunca mais pudesse mudar? A vida não teria tanta graça.

Mas ela tem.